[google6450332ca0b2b225.html

quarta-feira, maio 12, 2010

O sol
a poeira
lentíssima do sul.
a pedra do ar
clara e mordida,
a branca e nua
e tão antiga
poeira do sol,
vem pousar-me
nos olhos.
Ainda.



Eugénio de Andrade
in Poesia Terra de Minha Mãe
Foto Pedra_da_Cabeleira , Foz COA

2 comentários:

  1. Lindo. Mais palavras seriam acessórias.

    ResponderEliminar
  2. A fotgrafia é linda e o poema a condizer. Que coisas lindas que tu publicas, Tuka!

    ResponderEliminar